Monstro do lago Weiss para festa

No ano passado, enquanto eu e meu irmão degustávamos algumas das criações da Cerveja Monstro, surgiu a ideia de levarmos um barril (postmix) de cerveja artesanal para o próximo “evento” da família, dessa forma poderíamos espalhar a “sementinha” da boa cerveja caseira em mais pessoas com apenas uma tacada. Depois de discutirmos o assunto, decidimos que a Monstro do lago Weiss seria a melhor escolha para participar da festa de dois anos do meu sobrinho porque é uma cerveja leve, refrescante, com colarinho cremoso e seu sabor / aroma frutado certamente ofereceria uma experiência diferente e agradável para os presentes, que em sua maioria não conheciam cerveja artesanal.

Cerveja artesanal de trigo - Monstro do lago Weiss
Cerveja artesanal de trigo – Monstro do lago Weiss

A cerveja de trigo degustada na ocasião foi feita no dia 20 de Janeiro e embarrilada no último dia 10, a receita é a mesma já conhecida exceto pela levedura, desta vez a utilizada foi a Danstar Munich Wheat Yeast, que na minha opinião foi muito bem, atenuou conforme o esperado, resultando em uma cerveja com graduação alcoólica de 4,7%, bem próximo do que estava programado, e gerou alguns dos sabores e aromas característicos desse estilo alemão de cerveja.
A carbonatação foi feita injetando CO2 dentro do barril com a cerveja, esse processo demandou algumas horas e muitas sacudidas no postmix. Por se tratar de uma Weiss, estilo com baixo amargor, foi utilizado pouco lúpulo na receita, essa leva teve aproximadamente 12 IBUs (escala utilizada para mensurar o amargor da cerveja, em casos extremos algumas cervejas podem ultrapassar 100 IBUs), para uma comparação simples e direta entre cervejas de trigo a Pé Grande, nossa American Wheat, tem aproximadamente 27 IBUs. Acho que esse fator (baixo amargor) ajudou na boa receptividade da cerveja, não causou estranheza dos que provaram cerveja artesanal pela primeira vez, como talvez aconteceria se tivessem provado uma IPA, a Monstro do lago Weiss foi aprovada por todos os que a degustaram, o que me garantiu uma ótima sensação de “missão cumprida”.

Infelizmente todo o conteúdo do postmix acabou, mas me lembrei de tirar uma foto para colocar aqui antes do derradeiro último copo ser servido. Andei cogitando uma pausa nas cervejas de trigo porque os prometidos dias de verão pareciam ter esquecido de vir para essas bandas, curiosamente me parece que eles decidiram aparecer agora (junto com a chuva), então, antes de voltar minhas atenções para outros estilos de cervejas, possivelmente eu volte a produzir a Monstro do lago Weiss em breve. Fiquem atentos, a produção é limitada! 😉

Um abraço,
Cerveja Monstro

12 pensamentos em “Monstro do lago Weiss para festa”

  1. voce poderia me enviar a receita para fazer 20 litros estou começando na arte e gostaria de começar com cerveja hefeweizen por ser um grande apreciador de Erdinger, Paulaner
    desde ja agradeço e parabens pelo seu post.

  2. Alexandre,
    a fervura durou 60 mins, com uma única adição de lúpulo no início.
    Usei a proporção de 3 litros de água para cada 1kg de grãos. Quando for lavar os grãos (após a primeira retirada do mosto) a quantidade de água necessária pode variar de acordo com o seu equipamento, por isso considere uma certa margem (para mais ou para menos) na água de lavagem que você vai utilizar e tenha um target para o mosto obtido pré fervura (em litros e densidade) por exemplo: 25Litros de mosto com densidade de 1.044.
    Abraço

  3. Alexandre, você pode ir retirando amostras para acompanhar a fermentação no refratômetro por exemplo (lembre se de sanitizar tudo o que for entrar em contato com a cerveja). Mas se não estiver afim de fazer tudo isso e correr risco de contaminação, aguarde 3 semanas antes de seguir para a próxima etapa (carbonatação). a weiss é uma cerveja do tipo “quanto mais fresca melhor”, por isso após 3 semanas pode ir tranquilo.
    Se quiser uma cerveja mais “limpa”, na última semana reduza gradativamente a temperatura até atingir 0°C antes dos últimos 2 dias.
    Boa sorte aí e depois conte os resultados.
    Abraço

  4. essa cerveja fica parecida com aquela Franziskaner ? Eu estou lendo artigos na internet e estou querendo aprender a fazer cerveja de trigo, sera que com aqueles extratos que vende na internet consigo fazer uma cerveja com gosto parecido da Franziskaner ? abracos e obrigado

    1. Oi Anderson,
      Assim como a Franziskaner a “Monstro do lago Weiss” é uma weissbier. Existem muitos exemplares dentro desse estilo, o Alexandre (nos comentários anteriores) citou duas marcas relativamente fáceis de serem encontradas no Brasil, Paulaner e Erdinger, que também são bons exemplos dessas ótimas cervejas de trigo.
      Por pertencer ao mesmo estilo da Franziskaner, a receita da Monstro do lago Weiss te entregará algo parecido (não exatamente igual, quando começar a fazer cerveja você notará que chegar ao mesmo resultado é algo realmente complicado), pode começar a moer os grãos e a preparar o fermentador sem medo, o resultado é muito bom!
      Quanto aos extratos vendidos na internet, eu não me sinto a vontade para comentar sobre eles porque nunca fiz cerveja dessa maneira, sempre faço utilizando os grãos de cevada ou de trigo, porque isso me dá um controle maior sobre a elaboração da receita.
      Por experiência própria, posso te garantir que fazer cerveja dessa forma não é um bicho de 7 cabeças, não nego que demande alguma dedicação, mas é tranquilo partir para sua primeira brassagem utilizando somente grãos.
      Espero ter ajudado, qualquer dúvida é só perguntar.
      Obrigado pela visita.
      abraço

      1. obrigado pela resposta. Tenho mais uma duvida, voce usa aqueles equipamentos automatizados tipo HERMS, RIMS, Braumeister ou faz na panela mesmo ? vale a pena comprar um equipamento desses ? sera que muda muito a qualidade final ? tem o lance do fermentador tambem ne, sabe se existe algum que faca o controle de temperatura ? valeu , abracos 🙂

        1. Anderson,
          A Braumeister é um equipamento automatizado do tipo “chupa cana e assobia ao mesmo tempo” que infelizmente não cabe no meu budget =/ tenho lido comentários muito bons a respeito e donos extremamente satisfeitos. HERMS e RIMS estão mais para processos de produção do que para equipamentos como a Braumeister. A diversas formas de montar um RIMS uma delas é a HERMS, mas a princípio eu sugiro esquecer tudo isso para pensar e entender o processo de fabricação da cerveja, depois que você entender ele você pode julgar se o melhor para você é HERMS, RIMS ou outra coisa. Tem um visão geral do processo aqui
          Se você tiver uma boa quantia de dinheiro disponível e quiser investir procure uma Braumeister, do contrário comece com panelas mesmo e seja feliz. Faço nas panelas até hoje, meu nível de automação é praticamente zero e tem dado certo.
          Eu não conheço fermentadores com controle de temperatura, o que faço é colocar os meus dentro de um refrigerador (com controlador de temperatura) dedicado para fermentar minhas criações. É a solução mais simples e de longe a mais usada pelos artesãos da cerveja.
          Montar seu próprio equipamento é algo simples e não demanda muita habilidade manual (nunca fui muito bom nesse tipo de coisa), além disso o custo é menor.
          Abraço

    1. Oi Alexandre,

      Não tenho certeza se entendi sua questão, mas quando uso trigo faço a brassagem normalmente, apenas tomo um cuidado maior para não ter complicações durante a filtragem e lavagem dos grãos.

      Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *