Witbier – Cerveja de trigo belga

A Cerveja Monstro produziu duas levas do elegante estilo belga Witbier e um dos pontos que mais me chamou atenção nessas experiências é o quão bem essa cerveja artesanal é recebida pelo público feminino, mesmo entre pessoas que alegavam não gostar de cerveja ou afirmavam tomar apenas “malzibier”, no geral a resposta tem sido uma expressão de surpresa seguida de alguma variação de “nossa, gostei!”. Tradicionalmente feita com malte de cevada, trigo não maltado e algumas especiarias essa cerveja é leve, refrescante, possui agradável aroma frutado cítrico, perfume de coentro, sabor ligeiramente doce com uma sútil acidez e colarinho denso e cremoso. A Witbier é uma cerveja de alta fermentação e também é conhecida como “white beer” e “bière blanche” pela sua turbidez e aparência branca, essas características tem origem na suspensão de levedura e nas proteínas do trigo contidos na cerveja e podem ser facilmente notados ao olhar para o copo.

Esse estilo tem mais de de 400 anos, provavelmente derivado da tradição dos monastérios belgas,  tornou-se bastante popular nos séculos XVIII e XIX nas cidades a leste de Bruxelas, em especial nas cidades de Louvain e Hoegaarden onde eram produzidos os exemplares mais conhecidos. Com a popularização das cervejas Lagers a Witbier perdeu espaço e no ano de 1957 literalmente desapareceu depois que a última cervejaria belga faliu. Dez anos depois um grande homem chamado Pierre Celis levantou dinheiro com os familiares para abrir uma cervejaria a fabricar a tradicional Witbier, ele a batizou com o nome Hoegaarden e anos depois a cerveja tornou-se mundialmente conhecida.

Grãos de trigo não maltado utilizados na receita da cerveja de trigo belga Witbier
Grãos de trigo não maltado utilizados na receita da cerveja de trigo belga Witbier

A “Witbier Monstro” mantém a mesma base desde que nasceu, a única diferença é que a segunda versão foi aprimorada com uma quantidade maior das especiarias (coentro e raspas de laranja) e o resultado foi ótimo, em especial no aroma, por isso as alterações foram mantidas na receita da terceira leva de cerveja artesanal que está maturando agora.

Receita para uma Witbier Monstro (20 litros)

2,5kg Malte Pilsner
2,5kg Trigo não maltado
0,2kg Aveia em flocos
7g de lúpulo Halllertau Herkules (first wort)
7g de lúpulo Perle (20 mins)
25g de sementes de coentro moídas
35g de raspas de laranja
Levedura Fermentis Safbrew T58

As rampas de mosturação foram:
30 mins a 50C
50 mins a 63C
10 mins a 76C

A primeira adição de lúpulo foi feita logo após a primeira etapa da filtragem, e as especiarias foram adicionadas durante os 5 minutos finais de fervura utilizando uma hopbag (algo bem parecido com aqueles saquinhos de chá) A OG estimada é de 1049 e a temperatura de fermentação 19C. Notaram que há pouco lúpulo nessa receita? o lúpulo é discreto nesse estilo, tanto no aroma quanto no amargor, o destaque fica por conta das especiarias e talvez esse seja um dos motivos dessa cerveja ser tão bem recebida pelas mulheres.

Que fique claro que em hipótese alguma a Cerveja Monstro considera que Witbier é “cerveja de mulher”, pelo contrário, diversos amigos provaram e adoraram, esse recorte foi dado apenas porque tradicionalmente em nosso país (tão maltratado pelas grandes industrias cervejeiras) a maior parte do mercado de cerveja é composta por homens e é bem legal ver que isso está mudando, um bom exemplo disso é a mãe desse que vos escreve, ela que “nunca bebeu cerveja apenas Malzibier” hoje não hesita em dizer que a witbier é uma de suas prediletas. Alguém ai quer provar?

Um abraço,
Cerveja Monstro.

83 pensamentos em “Witbier – Cerveja de trigo belga”

    1. Oi Clovis,

      Se eu não puder extrair amostras para acompanhar a evolução da fermentação eu sigo uma regra simples que por aqui tem dado certo. Deixo na temperatura de fermentação (aprox. 20C) por duas semanas e depois baixo gradativamente a temperatura para decantar o fermento e demais partículas. Após três semanas (total) parto para o envase e carbonatação.
      Se você possui um refratômetro é melhor coletar pequenas amostras e acompanhar a evolução da fermentação, depois de mensurar três vezes e obter o mesmo resultado considero fim da fermentação.
      A wit não demanda muito tempo de maturação, costumo bebe-la assim que a carbonatação termina =D

      Boa brassagem e obrigado pela visita.
      abraço

    1. Cara, isso varia um pouco. Em alguns casos com dez dias a cerveja já está carbonatada, mas já tive levas que demoraram mais de três semanas.
      Eu geralmente me planejo para duas semanas na garrafa, mas como sou um pouco impaciente acabo abrindo algo antes disso para checar como anda o processo.
      Abraço

        1. sei como é isso…rs
          Segurar a ansiedade é complicado, principalmente na primeira leva. Não que a ansiedade vá embora nas próximas, mas é que você já vai ter umas garrafas da primeira para se distrair.

          Boa sorte ai!
          abraço

    1. Oi Felipe,

      Tradicionalmente a witbier é feita com curaçao, eu nunca encontrei o fruto fresco por aqui, por isso usei as laranjas que tinha em casa mesmo. Fiz literalmente um “blend” com laranjas Bahia, Pera e Lima. Você pode usar apenas uma se quiser, eu já fiz isso com bons resultados. Outros cervejeiros relataram boas experiências com outros cítricos como limão siciliano, lima da persia e o limão cravo. Faça o teste, corte a casca de frutas diferentes, veja quais os aromas que mais te agradam e manda ver.
      Depois nos conte como ficou.

      Boa sorte e boa cerveja!
      Abraço

      1. Boa noite Monstro!
        Vou ser mais um a repetir a vossa receita (será minha segunda leva). Estou com uma dúvida a respeito das cascas de laranja. As cascas que você utilizou foram frescas?? Qual o método de extração delas da fruta vc utilizou? Um ralador? Se puder me detalhar esse passo, ficaria muito grato.
        Parabéns pelo site. Foi um dos que me incentivaram a fazer cerveja em casa (belas fotos).
        Att Rafael

        1. Oi Rafael,

          Essa receita é relativamente simples e o resultado é bem legal! Gosto muito dela.
          Cara, eu sempre utilizo cascas de laranja fresca. Para extrair utilizo esses raladores de cozinha mesmo, você só precisa ter cuidado para não retirar aquela parte branca da laranja junto, fora isso é um processo bem simples.
          Obrigado pelo elogio e pela força cara.
          Boa brassagem e boa cerveja!
          Abraço

    1. Olá Sergio,
      Na mosturação use cerca de 15 litros, para lavagem dos grãos aqueça mais ou menos 15 litros, o ideal é você iniciar a fervura com pelo menos 24 litros (isso pode variar de acordo com o seu equipamento) para compensar evaporação e a perda pós fervura.

      Abraço

      1. Boa noite derso,
        sou mais um iniciante, comecando pela sua receita.
        tenho algumas duvidas:
        Se 20L e meu volume inicial, apos a mosturacao eu devo adicionar outros 20 L para a lavagem? Eu terei entao mais ou menos 35L para a fermentacao ,5L seria perda.
        Quanto a temperatura para a fermentacao, eu moro em regiao muito quente, eh impossivel manter 20°C, posso manter maturando na geladeira a 7°C por 14 dias? temperaturas mais altas fermentacao mais demoradas ?Quais as temperaturas ideais para a fermentacao?

        1. Oi Roger,

          Me perdoe pela demora cara, estive envolvido em outo projeto que consumiu mais tempo do que imaginava.
          Respondendo sua questão, o calculo de água e as perdas do processo dependem do seu equipamento, se você ainda não tem um histórico, comece usando de 2,5 a 3 Litros de água por 1 kg de grãos na mosturação e para lavagem use algo em torno de 3,5 L por 1kg de grãos usados em sua receita. Durante a brassagem é sempre bom ter targets do tipo: “antes da fervura tenho que ter x litros na panela” ou ” a densidade deve ser entorno de 1.0xxSG”, fique atento para corrigir qualquer eventualidade, para isso verifique a quantidade e densidade do mosto pré fervura (por exemplo, se tiver pouco mosto com uma densidade de açúcar maior que o esperado, adicione um pouco mais de água).
          Quanto a temperatura para fermentação, o ideal é verificar o recomendado pelo fabricante. Minhas primeiras levas foram fermentadas sem controle de temperatura, ficaram boas, mas depois que passei a controlar a temperatura elas melhoraram significativamente. Se você tiver pensando em fazer uma Ale fermente por volta de 20°C, procure um canto em sua casa longe da luz e que a temperatura oscile pouco. Para maturar você pode usar a geladeira comum sim, 7°C já vai ajudar bastante.
          Obrigado pela visita.
          Boa brassagem!
          Abraço

  1. Não precisa gelatinizar o trigo antes. Precisa? Pois vi alguns relatos que pra usar o trigo não matealdo seria necessário uma gelatinização do trigo antes da mostura. Mito ou verdade?
    Acho que vou tentar fazer uma wit neste fim de semana. Será que posso usar o fermento wb06 em vez do T58?

    1. Oi Sidney,

      Cara, eu nunca gelatinizei o trigo antes de fazer wit, tambem já ouvi esse tipo de coisa, talvez ajude a aumentar a eficiência, não sei. O fato é que sem gelatinizar tem dado certo. Agora que os dias frios estão ficando pra trás é quando a witbier ganha força, eu gosto muito desse estilo, em especial porque é um dos estilos mais bem recebidos por pessoas que não tem o hábito de consumir “cervejas especiais”, é fácil de beber e ao mesmo tempo é diferente do que “o brasileiro” está acostumado.
      Eu nunca usei o wb06 numa wit, sempre uso na weiss, eles tem perfis um pouco diferentes. Eu faria uma wit com T58 mesmo, gosto muito desse fermento. Mas acho que não vale a pena perder o final de semana só por causa do fermento, se optar pelo wb06 fermente numa temperatura baixa para deixar sua cerveja mais neutra possível, acho que o lance banana / cravo ia ficar meio estranho na wit.
      Boa brassagem e boa cerveja!
      Abraço

  2. Derso

    Mais uma vez, obrigada pela sua paciencia e ensino, é muito legal da sua parte estar sempre disposto a partilhar.
    Vou fazer aquela sujestão sua da TRIGO, sua dica foi para eu comprar o trigo não maltado, sabe aqui o povo não sabe o que é isso, como posso identificar o trigo para saber se o que eles tem é maltado ou não?
    Esses outros itens de sabor Laranja, coentro, etc… vc usa na mosturação ou na fervura depois da adiçãodo 1º lupulo?
    Se eu moer mais os grão consigo deixar uma densidade maior ????
    Quando a densidade está alta, eu deveria colocar 2 fermentos já de 1 vez ?

    Paula

    1. Paula,

      É um prazer poder ajudar! em breve você certamente estará dando dicas para uma outra pessoa e dessa forma faremos um país melhor (pelo menos com cervejas melhores) 😉
      Compro trigo no cerealista e simplesmente peço “trigo em grãos”, acho pouco provável um cerealista comum ter trigo maltado. Esses grãos de trigo (exatamente esses da foto acima) são um pouco mais difíceis de moer, nada impossível, mas algumas pessoas preferem usar trigo em flocos (eu nunca encontrei por aqui) para suarem um pouco menos na hora de moer.
      Como as especiarias são utilizadas para aroma eu as adiciono final da fervura, faltando cerca de 5 mins para o final.
      Se você moer mais os grãos uma maior parte deles estará em contato com a água e isso pode ajudar sua eficiência subir sim, mas lembre-se que a casca da cevada ajuda no processo de filtração, então não seria muito prudente triturar os grãos e transformar sua casca em farelo. Já para o trigo eu normalmente deixo mais fino, já que esse grão não tem casca.
      Sim, existe uma “regra geral” que diz que se sua cerveja ale tem uma densidade maior que 1.050SG é preciso usar dois pacotes de levedura para 20 litros de cerveja, porém sua witbier não deveria ultrapassar os 1.052SG de densidade inicial, portanto eu ficaria tranquilo em usar apenas um pacote de levedura para uma leva de 20 litros.

      abraço

  3. Boas … desde já parabéns pelo trabalho aqui realizado … estou a escrever de Portugal … a minha questão é, a dada altura da fermentção, 1 semana e meia mais precisamente, a cerveja começou a ter um cheiro horrivél … ora, eu sei que existem certas leveduras que produzem um cheiro mau que depois vai atenuando até desaparecer … isso aconteceu com esta cerveja? foi a primera vez que usei trigo não maltado e esta levedura …

    1. Olá Claudio,

      Fico muito feliz em saber que o cervejamonstro.com cruzou o Atlântico e alcançou os cervejeiros de Portugal. =D
      Eu já repeti essa receita de Witbier diversas vezes, já usei 3 leveduras diferentes e sempre uso o trigo não maltado. Honestamente falando não me recordo de ter observado nenhum aroma desagradável durante a fermentação. Porém, muitas vezes não acompanho de perto esse processo, depois que coloco o mosto pra fermentar dificilmente abro o refrigerador onde está o fermentador, apenas verifico (com maior frequência) se o controlador de temperatura está funcionando e marcando a temperatura esperada. Com tudo isso quero dizer que não posso afirmar com absoluta certeza que a fermentação dessa receita não produz aroma desagradáveis, mas já tive fermentações que produziram aromas desse tipo e resultaram em ótimas cervejas, a fermentação da Bohemian Pilsner pareceu “ovo podre” por alguns dias.
      A essa altura acho que não há muito o que fazer se os aromas desagradáveis de sua leva forem decorrência de alguma contaminação, por isso, acho que o melhor a fazer é relaxar, aguardar o termino da fermentação e provar para ver se está tudo bem.

      Boa sorte com sua Witbier.
      Obrigado pela vista.
      Abraço

  4. Olá Derso,
    Parabéns pela grande ajuda e pelo teu trabalho aí na fabricação de cerveja caseira.
    Estou olhando muitos vídeos no youtube sobre fabricação de cerveja caseira, porém não encontrei ainda um vídeo com a quantidade exata dos ingredientes na hora de fazerem a cerveja (a parte principal ninguém mostra), só falam de um modo geral, o que é muito interessante também para ter uma noção básica, legal que tu estás socializando as receitas com as quantidades exatas, parabéns mais uma vez!
    Pretendo começar a fazer cerveja, mas por enquanto bem modestamente, pois preciso saber como ficarão as primeiras levas de cerveja.
    Quanto as panelas de aço inox, tu achas que fazem muita diferença na qualidade em comparação com as de alumínio?
    Minha sugestão seria uma receita de cerveja Pilsen dessas tipo Quilmes, se puder socializar eu te agradeço.
    Sou do Rio Grande do Sul
    Abraço
    Fernando

    1. Obrigado Fernando!
      Cara, sua região tem muita cerveja boa, assim como cervejeiros caseiros que mandam muito bem. Faço cerveja por hobby até hoje e minhas levas são pequenas (sempre acabam muito rápido. rs). Eu sinceramente acredito que a melhor forma de aprender a fazer cerveja é fazendo, claro que ler sobre o tema para se preparar (o que você já tem feito) é importante, mas acho que a prática acaba trazendo grande parte do aprendizado, além de fazer surgir novas dúvidas que deverão ser respondidas antes de sua próxima brassagem. Quando você se der conta esse ciclo de “fazer, dúvida, fazer, dúvida” vai te fazer se sentir confortável para lidar com todo o processo de se produzir cerveja em casa, mesmo com algumas dúvidas (eu tenho inúmeras). Por isso, acho que se você já puder moer o malte e acender o fogo, vai nessa cara, se precisar de alguma ajuda é só dizer, terei o maior prazer em ajudar no que puder.
      Sobre panelas de alumínio, eu as uso até hoje, infelizmente inox é muito caro. Não tenho dúvidas de que a qualidade do inox é superior, porém não acredito que sua cerveja será prejudicada por ser feita em panela de alumínio. O maior cuidado que você deve ter é com os produtos utilizados para limpar a sua panela, se você não usar nada corrosivo ou muito abrasivo quando for lavar pode ficar tranquilo, você não vai ter problema algum. Faço a limpeza das minhas panelas com uma esponja comum e detergente neutro. Na minha opinião, você deve ter um cuidado maior com a parte fria do processo, fermentadores por exemplo devem ser de material atóxico, por isso deixe as panelas de inox em segundo plano e gaste uma energia maior nessa área.
      Eu ainda não fiz uma cerveja do mesmo estilo de uma Quilmes, acho que o mais próximo disso foi uma Bohemian Pilsner , isso seria um desafio interessante, quem sabe num futuro próximo!?

      Boa sorte e boa cerveja
      Abraço

  5. Ola, amigo, antes de mais nada parabéns pela bela receita, ja fiz uma ipa e uma red, agora vou tentar fazer uma dessa, me esclarece uma duvida, nas minhas outras cervejas quando vou engarrafar adiciono um sache de açúcar em cada garrafa e deixo 30 dias antes de abrir, a carbonatação fica excelente, me explica como vc faz essa parte do processo por favor, quando e como vc procede, e e como ela carbonata na garrafa se não for açúcar. desde ja grato pela atenção. abraço….

    1. Olá Renilton,
      Para a carbonatação eu faço o seguinte: 1- verifico quantos litros de cerveja vou engarrafar, 2 – defino o nível de carbonatação desejado para a cerveja e a quantidade de açúcar necessária para atingir esse nível (no geral uso 6g de açúcar por litro), 3 – coloco o açúcar numa panela com um pouco de água sem cloro e deixo ferver por 5 minutos, 4 – resfrio essa solução e a adiciono ao balde que contém toda a cerveja, 5 – com a ajuda da colher de brassagem sanitizada, mexo a cerveja (com cuidado para evitar oxigenação) para homogenizar a mistura de açúcar recém adicionada. 6 – pronto a cerveja está pronta para ser engarrafada.
      Normalmente as minhas cervejas já estão carbonatadas com duas semanas em temperatura de fermentação.

      Obrigado pela força.
      Boa cerveja!
      Abraço

  6. Primeiramente parabéns pelo belissimo trabalho!
    Sou um amante da boa cerveja e novo na arte de fabricar a minha. Por duas ocasiões eu fiz uma receita IPA que, para minha felicidade (e dos meus amigos) ficou muito boa. Agora minha meta é agradar também as nossas mulheres (e nós homens, claro) com uma Witbier.
    A minha dúvida é sobre as rampas de mosturação. A temperatura sobre gradativamente? Pode me explicar um pouco mais sobre esta etapa?
    Muitissimo obrigado!
    Lucas

    1. Obrigado Lucas!
      Você fez duas IPAs e elas fizeram sucesso, então já está indo super bem. Concordo contigo, a witbier vai sem dúvida ajudar a trazer mais apreciadores e apreciadoras para a suas cervejas artesanais.
      Sobre as rampas, a ideia é que a temperatura suba gradativamente para não haver risco de queimar o malte no fundo da panela, não sei qual é o seu equipamento, mas uso fogareiro de alta pressão aqui, então se eu aumentar a potência para ir acelerar o processo acabo queimando os maltes dentro da panela.
      Boa brassagem e boa cerveja!
      Abraço

  7. Em primeiro lugar, obrigado por compartilhar essa receita! =)
    Não tenho como controlar a temperatura de fermentação (mantê-la em 19º – 20º). Tem algum problema mais grave deixar a witbier fermentando em temperatura ambiente, algo em torno de 27º – 30º? Essa vai ser a minha primeira produção de cerveja de trigo e curti muito sua receita!

    Grande abraço e sucesso!

    1. Oi Marden,
      O ideal seria manter a temperatura dentro da faixa ideal para a levedura que você escolheu, não tem certeza se muitas trabalham sem demasiado estresse na faixa que você propôs. Consulte o site do fabricante para confirmar essa informação.
      Ao trabalhar acima da temperatura recomendada pelo fabricante, após a fermentação sua cerveja pode conter diversos compostos indesejados, álcool superior (o da dor de cabeça) é um deles.
      Mesmo sem um refrigerador, tente baixar a temperatura de seu fermentador, em minhas primeiras levas eu coloquei o fermentado dentro de uma bacia bem grande com água e se a temperatura subisse demais jogava gelo nessa água. Não é um método muito preciso e demanda mais trabalho, mas acho que vale a pena.
      Boa brassagem!
      Abraço

      1. Valeu pelas dicas! Tem esses termostatos para regular a temperatura da geladeira convenciona, certo? Será que eu mesmo conseguiria instalar um desses na minha geladeira? Você utiliza um desses?

        Abraços cordiais!

  8. Olá Derso! Tudo bom, meu caro? Já fiz a tua receita de dubbel e também a do lago weiss.Estou pensando o seguinte: – E se eu pegar a receita da weiss e colocar esta mesma quantidade de casca de laranja e coentro? Acha que dará certo? E se eu colocar também gengibre ralado? O que acha? Se achar legal a idéia, você me aconselha a colocar o quanto de gengibre ralado?
    Abraço e boa semana.

    1. Hey, tudo bem Elias?
      Cara, sua proposta foge completamente de uma Weiss tradiconal, obviamente isso não é probelma, mesmo porque a ideia me parece boa. Infelizmente ainda não brassei nada com gengibre, por isso não tenho referências, mas recomendaria pegar leve, já que o gengibre é forte e pode dominar sua cerveja. Se você for adicionar na fervura, melhor usar uma hop bag, não?
      Boa brassagem!
      Abraço

  9. Oi, Derso! Sou eu de novo!!
    Tô com uma dúvida cruel: fiz uma American Pale Ale há duas semanas, só que como a fermentei em temperatura alta, entre 26ºC e 30ºC, já no segundo dia não havia atividade no “airlock” nem espuma na superfície. Medi o mosto no refratômetro e não baixava mais (OG inicial em 1.068 e final 1.035!!!). Sei que isso não é normal! Pois bem. Daí, passei para o maturador, em temperatura entre 8º e 10ºC por 10 dias já. A OG final se mantém nos 1.035 até hoje. Agora não sei se ao engarrafar a cerveja, depois de fazer o “primimg”, ela vai carbonatar demais, estourando a garrafa, porque parece que ainda está havendo uma leve fermentação na maturação do mosto. O que você me indicaria fazer? Acha que vale realmente a pena engarrafar essa cerveja pelos valores incomuns que ela apresentou na medição? O cheiro e gosto dela não me parecem ruins!

    Grande abraço e obrigado mais uma vez!

    1. Oi Marden,

      Tudo certo?
      Cara, tem muito açúcar em seu mosto / cerveja ainda, eu realmente não recomendo engarrafar agora para não correr o risco de ter explosões por ai. Qual fermento e qual quantidade você usou? e qual é o tamanho de sua leva? O que eu faria em seu lugar e retornar para a temperatura de fermentação e adicionar mais fermento para que essa densidade baixe um pouco mais, 1.035 é muito alto. Qual equipamento você usa para mensurar densidade?

      Um abraço

  10. Derso una pergunta estou fermentando minha witbier, preciso colocar em outro recipiente para madurar? ou posso baixar a temperaturatura no mesmo recipiente que ele fermentou?? obrigado pelo seu tempo

    1. Olá Nestor,
      Você pode trocar de recipiente se quiser, mas honestamente falando não faço isso nas minhas. Baixo a temperatura para maturar usando o mesmo fermentador. A levedura irá decantar, então é só tomar algum cuidado na hora de retirar a cerveja que a maior parte da lama fica pra trás.

      Obrigado pela visita cara.
      Abraço

      1. Obrigado pela resposta derso eu sou do Paraguay e estou me iniciando nesse mundo de fabricacao de cerveja artesanal e gostei da pagina sua e estou probando a receita tomara que saia alguma coisa bebivel rsrsrs, valeu

  11. Boa tarde amigo, estou me preparando para produzir uma dessas. Fiquei com uma duvida no tempo de fervura após a filtragem. Agradeço se puder me esclarecer esse ponto.

    1. Boa tarde Jonathan,

      Para a grande maioria das receitas eu faço 60 minutos de fervura, dificilmente faço algo diferente. Pra começar não se preocupe com isso, estabeleça 1 hora de fervura e esta tudo certo.

      Abraço

  12. Boa tarde Derso,
    Estou me aventurando na fabricação de cerveja artesanal. Em minha primeira leva, escolhi fazer 10 litros de um Witbier. Seguindo a receita, restou apenas 7 litros no fermentador. A densidade após a fervura estava em 1047… após dois dias de pouca atividade no airlock, a densidade caiu para 1035, fermentando em temperatura ambiente entre 18-20 graus. Hoje completa 7 dias de fermentação e a densidade continua em 1035 e sem atividade no airlock.
    Utilizei o fermento T58.
    Será que maturando uns dias na geladeira a densidade baixa mais um pouco? Será que a cerveja vai prestar? O que será que pode ter dado errado?

    Desde já agradeço e parabéns pelo seu site.

    JotaEle

    1. Boa tarde Jotaéle,

      Esse lance de quantidade final (em litros) e densidade do mosto (SG), é uma equação difícil de resolver porque depende em grande parte do seu equipamento, Dentre as muitas variáveis o espaço entre a torneira e o fundo da panela pode ser maior na minha panela do que na sua e isso fatalmente nos traria diferenças. O interessante ai é estar atento a sua brassagem e ir fazendo anotações para garantir que você tenha dados a analisar e pensar em possíveis correções.
      Quanto a sua atual leva, eu nunca tive problemas com o T58 ele sempre trabalha muito bem. Qual a temperatura em que você inoculou a levedura? Como esta fazendo o controle de temperatura? Como você mensurou a densidade do mosto pré e pós fermentação?
      Com 7 dias já era pra ter atenuado quase tudo. A maturação na geladeira (estou considerando uma temperatura ao redor dos 7C) irá dificultar ainda mais, estou aqui pensando na possibilidade de levedura com baixa viabilidade e então o ideal seria adicionar mais levedura e manter a temperatura de fermentação que você mencionou.

      Abraço

      1. Bom Dia e obrigado pela resposta.
        Inoculei a levedura com a temperatura do mosto por volta de 24 graus. Estou fermentando em temperatura ambiente. Sou de SC e por aqui, dentro da minha casa está oscilando entre 18-20 graus. Estou medindo a densidade com um refratômetro.
        Então você acha que o ideal é eu colocar mais um pouco de levedura no fermentador?

        Abraço

        1. Sim, acho muito estranho sua cerveja não ter atenuado direito. Pelas condições que você mencionou deveria estar fermentando normalmente.
          Você corrigiu a leitura do refratometro para considerar uma parcela de álcool? Isso pode dar diferença.

          Abraço

  13. Boa noite! Primeiramente, parabéns pelo site! Esta me ajudando muito!
    Estou começando agora a brassar as minha cervas e ainda tenho muitas dúvidas. Você saberia me informar o que mudaria na minha witbier se eu usasse trigo maltado?
    Vou brassar esse final de semana e estou sem o trigo não maltado…

    Obrigado!

    1. Boa noite Saulo,

      Cara, muda muito pouco, sua conversão de amido para açúcar deve ser ligeiramente melhor com o maltado, mas na degustação da cerveja as diferenças serão muito sutis. Eu sempre compro trigo não maltado nessas casas cerealistas que toda cidade tem, compro em grãos mesmo, geralmente dá um pouco mais de trabalho para moer mas geralmente dá certo.

      Obrigado pela força e boa brassagem!
      Abraço

  14. Derso,

    primeiramente ótimo site. Eu já tinha visto essa receita a mais tempo, mas só nesse fim de semana vou arriscar fazer. Tenho uma dúvida:
    você sabe a densidade que deve estar o mosto antes da fervura? E pelo que entendi, a densidade após a fervura e o resfriamento é de 1,049? Qual deve ser a densidade final?

    Um grande abraço!
    Pedro.

    1. Derso.
      Vou fazer minha primeira leve e escolhi esta tua receita. Não estou achando os Lupulos Hallertau Herkules e nem o Perle. Qual posso usar para substituir.
      Grato e parabéns pelo site.

      1. Oi Paulo,

        Cara, para esse estilo de cerveja o lúpulo tem uma participação discreta, por isso a substituição é mais tranquila. Quando for comprar leve os dois nomes até a loja e procure lúpulos que tenham a mesma quantidade de alfa ácidos. Utilizando uma quantidade de alfa ácidos similar sua receita vai ficar dentro do padrão esperado.

        Abraço

  15. Derso,

    gostei da receita bem como da descrição. Vou executá-la como edição especial de natal para presentear.

    Com relação aos momentos de adição do lúpulo, qual o exato momento de adição do Perle? 20min iniciais ou finais? Fiquei na dúvida, já que houve menção da adição das especiarias nos 5min finais.

    Grato.

    Jorge.

    1. Oi Jorge,

      Poxa que honra! Esse estilo nesse calorão do final do ano vai muito bem.
      Quanto ao perle é nos 20 minutos finais da fervura, ou seja, 40 minutos após o inicio.

      Boa brassagem cara
      Abraço

  16. Derso,

    Estou enviando novamente uma pergunta, que acho que comentaram em cima da minha e passou batida.. primeiramente ótimo site. Eu já tinha visto essa receita a mais tempo, mas só nesse fim de semana vou arriscar fazer. Tenho uma dúvida:
    você sabe a densidade que deve estar o mosto antes da fervura? E pelo que entendi, a densidade após a fervura e o resfriamento é de 1,049? Qual deve ser a densidade final?

    Um grande abraço!
    Pedro.

    1. Oi Pedro,
      Me desculpe cara, passou batido mesmo =/
      A estimativa de densidade do mosto pré fervura é 1.043SG e o que você deve levar para a fermentação é 1049SG.
      Mas isso não é tão exato quanto parece, a configuração de seu equipamento pode mudar as coisas, a potencia de sua fervura por exemplo pode fazer com que você evapore mais ou menos água, então não encane muito com esse parâmetro ele serve como uma referência, mas não seja refém dele. O mais importante é que você registre tudo para depois analisar os dados de seu equipamento e ir ajustando as coisas nas próximas brassagens.

      Boa brassagem cara!
      Abraço

  17. Derso;

    o site que tenho costume de comprar insumos está com trigo não maltado esgotado, qual seria seu substituto? Obs: tenho que comprar nesse site devido ao preço dos outros insumos.
    Vc acrescentaria algo a mais nessa receita?

    Parabéns pelo site!

    Abraço

    1. Oi Thiago,

      Eu sempre faço minha wit com trigo comprado nessas casas cerealistas, em toda cidade tem, se não estou enganado é o mesmo trigo utilizado para fazer kibe, é bem fácil encontrar, talvez você encontre até em feira livre.
      Se você realmente tiver que comprar pelo site, compre o trigo maltado mesmo, deve funcionar.

      Obrigado pela visita e boa brassagem!
      Abraço

  18. Boa tarde derso, tudo bem?
    a Aveia em flocos é adicionada no inicio da brassagem junto com o malte?
    outra duvida, eu comprei trigo em flocos nao maltado, a moagem dele deve seguir o mesmo padrao da moagem do malte?
    Obrigado, abraço.

    1. Boa tarde Erasmo,

      Tudo tranquilo cara e você?
      Sim, sempre adiciono a aveia junto dos outros grãos. Quanto ao trigo, eu nunca usei em flocos, sempre compro grãos e faço a moagem bem fina (já que trigo não tem casca), acho que você pode seguir o mesmo raciocínio para os flocos que comprou.
      Boa brassagem e boa cerveja!
      Abraço

  19. Boa tarde Derso, em primeiro lugar parabéns pelas dicas receitas e tal, estou começando agora no ramo, minha primeira leva está fermentando(uma Kölsch ), estava procurando uma receita de Witbier para a próxima e gostei da tua sugestão, porém algumas dúvidas:
    – Em que momento tu adicionou o primeiro lúpulo?Antes da fervura, logo após a lavagem dos grãos?
    – No local onde compro insumos encontrei o trigo não maltado em flocos(http://loja.weconsultoria.com.br/flocos-de-trigo-p131/).Pode ser este,é colocado ao mesmo tempo que o Pilsner e a aveia?
    – A aveia pode ser esta de caixinha encontrada em supermercados?
    Abraço e obrigado pela atenção.

    1. Oi Álvaro,

      Começou com uma kolsch? que massa, nunca fiz esse estilo mas curto pra caramba, tive que viajar a trabalho para Colonia e acabei me apaixonando. 🙂
      Cara, adicione o lúpulo no quando começar a fervura ou após a lavagem dos grãos.
      Pode ser trigo e flocos sim cara, passe no moedor também, deixe bem fino, assim como a aveia em flocos (dessas do supermercado serve), jogue tudo junto dos outros grãos, que vai dar certo.

      Obrigado pela força cara.
      Abraço

      1. Bah Derso, obrigado pela força? Eu que agradeço as respostas e pelo blog onde responde a todos comentários, a propósito, lendo os posts das receitas e os comentários/respostas tirei muitas dúvidas, novamente eu que agradeço.

        1. Obrigado pela resposta Derso…
          me surgiu outra dúvida, pois quando fui comprar os ingredientes, não encontrei o lupulo lúpulo Halllertau Herkules e acabei comprando o lupulo Galena, será que terei algum problema? como ele tem menos A.A pensei em utilizar 10gr o que acha desta substituição e quantidade?
          Obrigado novamente, quando ficar pronta postarei os resultados! Abraço.

          1. Oi Erasmo,

            A quantidade de alpha ácidos do Galena é um pouco menor mesmo, para atingir o mesmo nível de IBU você precisaria utilizar entre 10 e 10,5 gramas. Pode utilizar tranquilo porque a função dessa adição de lúpulo é amargor e nesse estilo o amargor é discreto.
            Opa! por favor compartilhe os resultados conosco.
            Boa brassagem e boa cerveja!
            Abraço

  20. Boa noite Derso, queria tirar uma dúvida estou maturando uma IPA , só que nao controlei a temperatura, ela esta com gosto forte de alcool, e queima um pouco ao beber, sei que isso seria alcool superior, mas fermentou em temperatura ambiente um fermento Fermento Belgian Ale – Mangrove Jacks M27
    sachê pode ser usado para fazer 23 litros de cervejas (com densidade de até 1,060).
    Atenuação: Muito Alta
    Floculação: Média
    Temperatura de fermentação: de 26 a 32 graus celsius.
    Equivalante: T-58

    quero fazer um Dry hopping, você acha que devo continuar mesmo, com esse alcool superior, devo usar o lúpulo, e ir para o envase, ou devo esquecer esse 22L que fiz, e partir para outra cerveja?

    Muito obrigado desde já.

    1. Boa noite Vinicius,
      Cara, álcool superior é do mal. Honestamente falando seu dry hop vai mascarar a coisa, mas não vai elimina-la, ou seja, sua cerveja deve ficar mais “bebível”, mas a probabilidade da dor de cabeça bater depois é bem grande.
      A fermentação gera calor por isso é preciso tomar muito cuidado com a fermentação sem controle de temperatura.
      A decisão é sua, mas no seu lugar eu faria por curiosidade em testar as outras técnicas e seu impacto na sua cerveja, você está tão próximo do fim que mesmo se não rolar de beber essa leva eu faria “pelo bem da ciência”.

      Abraço

  21. Boa tarde Derso,mês passado quando minha primeira leva estava fermentando( uma Kölcsh, que deu tão certo que já acabou) comentei aqui contigo sobre esta receita, como ainda tenho algumas dúvidas na elaboração de receitas, gostaria de experimentar essa tua wit na minha segunda leva, porém se tu não te importa de me ajudar tenho algumas dúvidas:

    -Para fazer uma leva de 40l basta dobrar os ingredientes? E para 30l posso usar a proporção, regra de tres?
    -Minha outra dúvida se refere a como calcular a quantidade de água inicial, a relação água/malte e quantidade de água para lavagem. Para essa receita, considerar 2,5l/kg de malte para brassagem e 1,5x essa quantidade para lavagem estaria correto?
    -No comentário disseste que o amargor é bem discreto,sem levar em conta as diretrizes de estilo(pensando em gosto pessoal) será que aumentando um pouco os lúpulos(ex. de 7 para 10 gramas) ficaria muito amarga?
    -Será que essa primeira rampa de 30 minutos não é muito longa?E será que essa receita funcionaria com uma infusão simples de apenas uma temperatura(ex. 67 graus)?
    Peço desculpa pela quantidade de dúvidas, desde já agradeço pela atenção e no aguardo,
    Álvaro.

  22. Amanhã vou fazer minha primeira brasagem … Vou tentar fazer a witbeer porque gosto muito dela por sua leveza e Aroma, assim que tiver pronta eu posto como ficou 🙂

  23. Bom dia Derso
    Estou lançando sua receita exatamento como vc publicou no Beersmith mas está dando uma densidade inicial estimada muito alta, com ABV estimado acima de 7%. Está correto isso ou posso diminuir a quantidade de malte e trigo em grãos seguindo os dados do programa?
    Obrigado.

    1. Oi Eduardo,

      Que estranho, isso é muito alto. Eu criei minha receita no Beersmith. Você está considerando qual eficiência? Isso pode impactar nesses dados, por exemplo se sua eficiência for maior que a minha você pode sim reduzir a quantidade de grãos para chegar no patamar adequado para o estilo.

      Abraço

        1. Eduardo,
          Estou sem acesso ao meu Beersmith, mas essa receita foi pensada para 60% ou 65% de eficiência.
          Se o seu patamar é 72% reduza proporcionalmente os grãos até atingir a OG target da receita. Isso deve resolver a questão inicial.

          Abraço

  24. Olá Derso.
    Já usei pimenta rosa em uma leva de Witibier, o resultado foi ótimo, mas não me recordo da quantidade usada.
    Você saberia me indicar qual a quantidade apropriada e momento certo de inserir à receita? 🍻

    1. Oi Flavio,

      A quantidade utilizada varia muito de pessoa pra pessoa, é algo muito pessoal. Independente da quantidade eu utilizaria no término da fervura se a intenção for aroma.

      Boa brassagem!
      Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *