Degustando a Dry Stout Monstro

Essa é a cerveja Dry Stout feita pela Cerveja Monstro
Dry Stout feita pela Cerveja Monstro

Está é a Dry Stout Monstro, a cerveja artesanal que tem um delicioso aroma que remete a cevada torrada / café, foi inspirada na cerveja irlandesa Guinness e é o resultado da minha primeira aventura no universo das Stouts. Feita no inicio de Novembro e engarrafada no final do mesmo mês, essa Irish Stout (as Dry Stouts também são conhecidas assim) foi um belo começo neste estilo de cerveja, apesar de já ter algumas pequenas alterações em mente a maior parte dessa receita permanecerá como a base para as próximas versões.

O ponto forte dessa cerveja é a agradável presença da cevada torrada / café no aroma, no sabor o lúpulo é discreto, o amargor é sutil e poderia ganhar um destaque um pouco maior, essa versão tem apenas 34 IBU’s, então nas próximas devo aumentar a carga de lúpulo no início da fervura.
O teor alcoólico é de 4,3%, a cerveja tem uma ótima aparência, o precioso liquido é preto enquanto a espuma é bege, e por falar em espuma quero aprimorar a retenção dela, por algum motivo ainda incerto para mim a espuma permanece menos tempo do que deveria.
Mesmo considerando essa cerveja uma das melhores que já fiz, acredito que ela ficará ainda melhor se ficar um pouco mais encorpada e a carbonatação ligeiramente mais baixa, não acho que isso prejudique a experiência atual, mas esses pontos podem ser aprimorados nas próximas levas para chegar mais próximo da Dry Stout ideal (se é que ela existe).

Só me restaram algumas garrafas, acho que já é hora de fazer mais. 🙂

Um abraço,
Cerveja Monstro

11 pensamentos em “Degustando a Dry Stout Monstro”

  1. Caro colega cervejeiro
    Curti demais a aparencia de tua cerveja
    Acabei de fazer um curso na bodebrown em Curitba
    Gostaria de analisar e fazer algo igual a esta tua
    Nao quer me dar tua receita?
    Abcs
    Odair

    1. Oi Odair,

      É sempre bom receber a visita de novos colegas cervejeiros, seja bem vindo!
      Poxa, a única vez que fui pra Curitiba (a trabalho) ainda não fazia cerveja e consequentemente não conhecia a bodebrown… Realmente preciso voltar.
      A receita dessa Dry Stout está aqui: http://cervejamonstro.com/2012/12/18/dry-stout-monstro/
      Você vai fazer uma leva de quantos litros? Com base nisso posso ser mais preciso ao te passar a receita (acima os grãos estão divididos em %).
      Qualquer dúvida é só dizer.
      Obrigado pela visita.
      Abraço

  2. Caro colega cervejeiro,
    Estamos começando a produzir a PIA bier, aqui em Piapitangui – Viana-ES, conhecida como a “terra da banana”. Tenho interesse em elaborar uma receita com banana, mas não sei como e nem qdo adicionar a fruta, como vc tem experiência nestas cervejas frutadas, o que sugere e/ou receita?
    Qto ao problema da retenção da espuma e melhora no corpo da mesma, citado acima na sua Dry Stout, eu sugiro a adição de Malte Carapils Weyrmann em até 5%. Tenho usado o mesmo em algumas receitas e o resultado tem sido satisfatório.
    Abcs
    Gilmar Moreira

    1. Oi Gilmar,
      Muito bom saber que no ES também se faz boa cervejeira, acho que estamos no caminho certo para fazer o Brasil um país melhor (pelo menos na cerveja!). Obrigado pela dica sobre a retenção de espuma na stout, ainda não testei isso, mas certamente vou incluir na próxima brassagem dessa receita.
      Quanto a cerveja com frutas, infelizmente tenho pouca experiência com isso, usei apenas maracujá e cambuci até agora. Qual é a sua intenção com a banana? o que você quer de resultado para essa cerveja? aroma de banana? sabor de banana?
      Nas duas ocasiões que usei frutas eu só as adicionei após o término da fermentação dos açúcares oriundos da brassagem (dos maltes), depois disso mantive a temperatura de fermentação cerca de uma semana para a levedura consumir os açucares fermentescíveis recém adicionados. Com o maracujá eu só congelei a polpa antes de descongelar e adicionar ao fermentador, enquanto para a cambuci eu pasteurizei a polpa antes de congelar e repetir o mesmo processo do maracujá.
      Fiz uma rápida pesquisa pela rede sobre esse tema e não encontrei muita coisa, nessa thread há um relato de um homebrewer que já brassou com bananas, porém não conseguiu extrair muito sabor / aroma da banana fermentada, ele recomenda amassar as bananas, pasteuriza-las e adiciona-las a um grain-bag para em seguida adicionar na fermentação secundária e deixar por no máximo uma semana.
      Esse tema é bem interessante, se você fizer algum experimento por ai, por favor compartilhe conosco, deve ser algo interessante.
      Boa brassagem e boa cerveja.
      Abraço

  3. Mostro, posso chamar assim? Parabéns pelo blog. Feito com muito cuidado e carinho, parabéns! Também sou cervejeiro artesanal, fiz o curso na Bodebrow também. Além de cervejeiro sou Chef de cozinha, faço jantrares harmonizados e para isso ficar perfeito faço muitos teste, no último domingo fiz um Suan (corte suíno) temperado com Canela, Café Expresso, Cahacaça entre outros ingredientes que ficou perfeitamente harmonizado, Para quem quiser ver como ficou é só dar uma olhada. http://migre.me/kAxx7
    Grande abraço a todos e mais uma vez parabéns pelo Blog.
    Daniel Magri

    1. hahahah pode sim Magri, na primeira vez que me um cervejeiro me chamou assim passei um bom tempo rindo, foi meio inesperado. Mas confesso que agora já estou adaptado a essa ideia.
      Teu blog é excelente cara! Vou acompanhar e pegar as dicas para harmonizações, parabéns pelo trabalho!

      Muito obrigado pela força.
      Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *